O pico do Stress é quando a aceitar o meu corpo fica mais dificil.

O pico do Stress é quando a aceitar o meu corpo fica mais dificil.

Quando estou bem, eu amo meu corpo. Amo a forma que ele tem. Aceito todas as partes dele, mesmo aquelas que eu não gosto tanto. Defendo a saúde acima de tudo e não me importo com todas as criticas e comentários que me dizem que eu tinha era que emagrecer. Mas quando a semana é intensa e eu chego naquele estágio de Stress em que eu choro só de lembrar de quantas coisas eu preciso resolver, aceitar o meu corpo fica MUITO mais difícil.

Quanto mais Stress, mais difícil aceitar o meu corpo

Eu trabalho muito para aceitar o meu corpo. Mas que a gente tem umas recaídas de vez em quando, ah, isso a gente tem. E eu percebi que isso é muito ligado ao quanto nós estamos fragilizadas. E por fragilizadas, eu quero dizer sensíveis por qualquer motivo que seja. Hormônios, stress, pressões, baixa autoestima. Tudo isso atrapalha muito esse processo.

Essa semana isso caiu em mim como um balde de água gelada. No maior ponto do stress de 2018 até agora, eu tava muito tensa, preocupada com milhões de coisas, resolvendo outros milhões de coisas e tentando de alguma forma equilibrar minha vida pessoal, minha vida profissional, meus projetos paralelos, meus problemas de família… Era coisa demais pra uma cabeça só.

Nessa semana, surgiram comentários sobre o meu corpo em vários lugares, e vindo de várias pessoas. Especialmente comentários sobre o meu peso, e como eu deveria emagrecer.

Os comentários acertam em cheio e você só quer sumir.

O pico do Stress é quando a aceitar o meu corpo fica mais dificil.

Nesse dia eu pensei de novo que eu tava ‘fora do peso’. Que precisava emagrecer pra ficar bonita. Que estava errada de estar assim, ‘gorda’. Todo aquele trabalho de anos fazendo as pazes comigo mesma foi por água abaixo nesse dia e eu me senti horrível.

E não horrível de aparência. Mas horrível de incapaz, de inadequada, de fraca, de insuficiente. Eu me sentia uma ameba flutuando na enxurrada da chuva ácida de São Paulo de tão insignificante.

E foi depois de muita fossa, muita bad e chorar muito que voltei um pouco a sanidade e percebi o que realmente tava me afetando daquele jeito: o stress.

Quanto maior o stress, mais vulnerável a gente fica a essas coisa. Mais fácil é de ser atingida por essas coisas. Mais fácil é de ser conduzida a odiar o seu corpo maravilhoso. Mais fácil é de se sentir errada, inadequada. Mais fácil é cair na cultura da dieta de novo.

Aceitar o corpo é um trabalho diário, e quando você está vulnerável esse trabalho fica mais difícil. Mas vale a pena resistir. O stress passou, e hoje eu to vendo claramente como as coisas estão.

Se você tá passando por essa fase e precisando de uma ajudinha para passar por ela, clica aqui e dá uma lida nos nossos outros posts sobre aceitar o seu corpo e se amar.

E fica bem. Estamos juntas nessa luta diária, você não está só e você é um ser humano maravilhoso.

Facebook Comments

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *