Dublin Day Trip – Cliffs of Moher

Os Cliffs of Moher são uma das principais atrações naturais da Irlanda, e uma das que eu fazia questão de visitar mesmo sendo ligeiramente distante de Dublin. Era minha primeira viagem internacional, e eu não tinha como ir sozinha e passar alguns dias na região, então resolvi pela praticidade e fui com um tour de um dia, de ônibus turístico e rota pré definida. Geralmente não gosto de tours turísticos, mas ir e voltar de ônibus ia sair mais caro e potencialmente mais difícil pois atrações naturais tem essa tendência a ficarem na natureza,  assim, longe da civilização!
Falésias na costa oeste da Irlanda, e o tour incluía ainda uma visita ao Burren, uma formação rochosa peculiar e também litorânea, e terminava com uma passada em Galway.  Agora vocês já sabem que eu sou uma pessoa de água, mas por alguma razão que ainda estou desenvolvendo, eu também gosto muito de pedras. Construções feitas de pedras, pedras bonitinhas, rochas em sua natureza, enfim. Era fácil perceber porque esse passeio parecia promissor para mim!
Agora eu tenho que dizer que infelizmente eu não vou poder dar as dicas e depoimentos de como os Cliffs são maravilhosos e qual a melhor vista da costa por que, bom, o dia se mostrou chuvoso e cheio de neblina e eu não vi os Cliffs.
Minha vista um pouquinho diferente do que o esperado.

A natureza tem dessas de fazer o que ela quiser sem se preocupar com seu itinerário as vezes, e não dá nem pra dizer que foi inesperado porque, na Irlanda, inesperado seria um dia aberto e de sol. Então o melhor conselho ou dica que posso te dar nesse momento é: verifique a previsão climática, não compre tão antecipado, você vai conseguir um passeio comprando um dia antes sim. E use um casaco impermeável e corta vento sempre que for para as naturezas de lugares frios!
Eu me questionei por um tempo se devia afinal fazer um post sobre um lugar que “não vi de verdade”, mas me sinto diminuindo uma experiência turística se a resumo apenas ao campo visual. Eu não pude ver os Cliffs mas afinal eu estava neles! Eu podia ouvir as ondas batendo nas rochas, eu estava andando sobre seu topo,  sentindo o vento gelado e úmido do oceano bater no meu rosto, o cheiro de maresia com terra molhada estava mais presente do que nunca, e o toque das pedras nas minhas mãos estava lá.
Burren

Claro que ouve certa decepção,  mas nem só de sucessos absolutos se fazem viagens, e as vezes um tempo fechado te trás mais descobertas que um céu aberto e ensolarado. Eu provavelmente não percebi na hora, mas foi nesse dia que além da água,  além das pedras, eu aprendi a amar a neblina.

Num futuro relativo a esse relato,  eu vou descobrir na neblina parte da arquitetura natural que vai me conquistar no que hoje tenho como um dos meus lugares favoritos do mundo, mas deixando os spoilers para o tempo deles, caminhar por Cliffs sem saber o que vai se encontrar a 2 metros de distância foi uma experiência única de imersão não visual,  e recomendo para todos que tiverem a chance (mas sejam melhores que eu e planejem um dia com uma boa visão também!).

No mais,  a formação rochosa de Burren ficou ainda mais linda e peculiar na chuva e neblina,  os guias foram ótimos nas piadas com o tempo e as peculiariedades do interior da Irlanda, Galway foi um amorzinho de começo de noite Irlandes, e afinal, como se não faltassem razões para voltar,  ter “perdido” uma das atrações principais,  só me faz ter certeza que pra Irlanda, ainda ei de voltar!

Facebook Comments

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *