Como me tornei vegana

como me tornei vegana

Juntaram-se as pressões que os meus pais faziam, com eu ter começado a estudar no IFRN – e muitas vezes passar o dia inteiro na escola — e lá por de abril de 2008, eu voltei a comer carne (de frango). Mas eu não aguentei muito tempo, porque eu já tinha noção de que eu estava financiando a morte de milhões de animais e que o meu prazer em comer determinadas coisas era menos importante que a vida deles. Então em junho de 2008, eu deixei definitivamente de comer qualquer tipo de carne.

Vegetariana na adolescência

Minha história com o veganismo surge tempos atrás, quando existiam pouquíssimos veganos (conhecidos) na internet. Tudo começou por volta de 2007, quando conheci comunidades de vegetarianos no Orkut. Por volta de novembro daquele ano, eu decidi me tornar (ovo-lacto) vegetariana. Eu tinha 14 anos e a minha família não aceitou nada bem a minha decisão. Diariamente eu ouvia sermões relacionados a não comer carne, logo ficar doente e morrer — todos viram nutricionistas quando alguém decide deixar de comer carne, se você for adolescente então…

Nesse tempo, eu já conhecia muita gente do rolê punk/hardcore, várias das quais eram veganas, e foi nesse meio que a minha relação com o veganismo foi moldada. Apesar disso, eu demorei vários anos pra conseguir me tornar vegana. Foi a junção de falta de maturidade, com falta de apoio e aceitação da família, uma vida meio instável e um pouquinho de comodismo.

De vegetariana a Vegana

Em 2012, com 19 anos, eu decidi que ia fazer a transição e comecei cortando tudo que tivesse ovos – me tornei lacto-vegetariana. Nessa época eu já tinha criado o Maquiando Sem Crueldade, blog que surgiu em 2012 pra falar sobre maquiagem não testada em animais (cruelty-free). Com a minha transição, ele virou um blog de maquiagem vegana. Também foi nessa época que eu saí da casa da minha mãe e passei a morar na casa do meu namorado. Lá foi onde morei por cerca de 4 anos. Eu costumava falar que só me tornaria vegana quando tivesse a minha própria casa. Mas se eu fosse esperar isso acontecer, eu ia demorar anos pra me tornar vegana.

No ano seguinte, em maio de 2013, eu decidi que já estava mais que na hora de me tornar vegana. Eu tinha plena noção que consumir leite e derivados era perpetuar a exploração das vacas leiteiras. Eu também tinha consciência que elas são exploradas por uma das indústrias mais cruéis e eu não podia continuar com isso. Mel e outras coisas de origem animal eu já não consumia antes.

A adaptação

No início até foi difícil me adaptar porque eu tinha um apego com queijo. Mas foi bem menos dificil do que me tornar ovo-lacto quando adolescente. Mesmo eu morando no interior do Rio Grande do Norte, fazendo faculdade e morando na casa de terceiros, porque eu tinha o principal: apoio. Não demorei a me virar melhor na cozinha. Seja escolhendo alimentos, fazendo substituições, descobrir novos sabores, pesquisar umas receitas na internet, inventar outras.

E pra você que tá querendo se tornar vegano, eu digo: comece hoje. Tem pessoas que conseguem se tornar veganas sem passar por fase de transição. Tem pessoas que não conseguem. Se você é do tipo que não consegue, comece cortando as carnes. A minha dica é não se acomodar e não cair no truque de massas e queijos. Comece a inserir novos alimentos. Prove vegetais, coma uma fruta que você não tá acostumadx. Você também não precisa consumir industrializados. Eles muitas vezes são bem caros e inacessíveis pra boa parte da população, pra se tornar vegan. Lembre-se do arroz, do feijão, das frutas e verduras. Até daquela batata frita! Tem uma variedade gigante de alimentos pra você conhecer, basta dar uma chance.

A minha outra dica é que você leia bastante e assista documentários. Procure os que falam sobre a exploração animal e também sobre suas relações com o meio ambiente, a saúde, os trabalhadores dessa indústria. Eles são uma ótima saída pra fortalecer o seu veganismo como um todo.

Pra encerrar, fico feliz em falar que já vão completar 6 anos da decisão mais correta da minha vida.

Facebook Comments

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *