Minimalismo e a nossa vida financeira: 5 dicas se organizar financeiramente

minimalismo na vida financeira

Que o minimalismo tem me transformado disso não temos dúvidas.

Eu acredito que um dos itens que mais sentimos quando nos tornamos minimalistas é o bolso.

Você pode ter se tornado minimalista sem querer. Talvez tenha ficado desempregada (o) e a solução que encontrou foi “apertar os cintos”. A partir disso, talvez tenha descoberto modos de economizar e fazer somente aquilo que seja necessário.

Eu mesma passei de consumista a minimalista. Ter somente aquilo que faz sentido pra mim tem me feito tão feliz e sou grata por poder compartilhar minhas descobertas.

Comentei sobre a faxina financeira que fiz em minha vida, no texto anterior, e sobre como descobri o minimalismo na minha vida, você pode conferir aqui.

A Nathalia Arcuri fala muito sobre enriquecer para adquirir suas metas. Ela mostra em muitos de seus vídeos uma divisão simples para administrar suas finanças.

Entenda sua vida financeira

Começando com a verba dos gastos essenciais, 55% da sua renda deve ser para sobreviver o hoje!

Água, luz, internet, aluguel, tudo aquilo que você não pode viver sem, durante o mês.

Se fazer as unhas é essencial para você, você deve colocar nesse gasto.

Em seguida 30% você deve investir, de preferência em locais que irão te trazer uma rentabilidade boa, uma dica para começar é o tesouro direto. Esse dinheiro é para o futuro, pode ser para sua aposentadoria, sua viagem de férias de fim de ano, para sua casa, enfim qualquer meta definida por você.

5% é para a educação, essa verba é para você se aperfeiçoar, cursos extras, livros, palestras, tudo o que fará você adquirir conhecimento.

Os 10% restante é para gastar com o que você quiser, o que você desejar naquele mês.

Método dos três potes

Eu gosto dessa forma de administração. Mas o primeiro conceito que eu administrei o meu dinheiro quando comecei a minha faxina financeira, foi a dos 3 potes.

É bem simples! Você divide a sua renda em 3 potes: o primeiro é o pote dos gastos essenciais, o segundo é para investimentos e o terceiro e último é o pote do lazer.

Quando aprendi essa forma, minha vida melhorou demais. Quando estudei esse tipo de planejamento financeiro aprendi que precisamos de equilíbrio em tudo na vida, não adianta você só pagar as contas e investir (guardar dinheiro) e não aproveitar o agora. Perceba que são quantidades iguais nos potes, esse conceito de equilíbrio me fazia lembrar que passear com a minha família era essencial, mesmo pagando uma dívida grande ao banco.

Hoje em dia eu comecei a aperfeiçoar o método dos potes, fiquei com a teoria do equilíbrio e comecei a executar o método da Nathalia na minha vida.

minimalismo na vida financeira

Quero passar 5 dicas para você começar a se organizar financeiramente que transformaram a minha vida!

Quando começamos uma faxina em nossa casa (vídeo da Tia Du sobre faxina e minimalismo), a primeira coisa a se fazer é analisar o que precisa ser feito, normalmente temos que olhar, fazer essa análise diante de tudo o que precisa ser organizado, antes de começar não é mesmo?

1 –  Anotar para analisar

Com a faxina financeira não é diferente! O primeiro passo é analisar tudo, o que está errado e o que está certo.

Muitas vezes não temos noção de quanto gastamos no mês. A minha primeira dica é: anote tudo!

Tudo o que entra e o que sai, sabe aquela bala que você compra na hora do almoço?

Sim, tudo você deve anotar. Existem muitos aplicativos que podem te ajudar com isso, mas você pode anotar em um caderno mesmo, aposto que você tem um caderno antigo da escola que ainda tem folhas que podem ser usadas.

Anote a data, o que comprou e quanto foi. No final do mês você poderá observar tudo e saberá exatamente quanto gasta.

2 – Conheça a sua vida financeira

Analisar tudo pode ser surpreendente!

Você pode descobrir que gasta muito com maquiagens que não usa, que compra uma embalagem pequena de um produto que compra todo mês, que poderia substituir para a embalagem maior economizar no mercado e embalagens no meio ambiente.

Conheça a sua vida! Você que saberá analisar o que é gasto essencial, o que não faz sentido pra você, o que foi um momento sem pensar, o que te faz bem e o que te traz alegria como a Marie Kondo diz. (Texto Marie Kondo e Minimalismo)

minimalismo na vida financeira

3 – Pegue o telefone e negocie

Depois de analisar, você deve verificar as suas dívidas: juntar todas elas, ter o seu valor total e verificar pra quem você deve.

Vou dar o meu exemplo: Eu devia bancos e cartões de crédito de lojas de departamento.

Ao todo eram 4 empresas que eu estava devendo, uma dívida de 5.000 reais. Pra algumas pessoas não é muito. Entretanto essa dívida real era de 1.000 reais, ou seja 4.000 eram só os juros. Eu pagava o mínimo dos cartões todos os meses, e pegava empréstimos nos bancos.

Eu fazia uma bolona de neve todos os meses e o meu salário na época era menos de 1.000 reais. Minha dívida, quando eu resolvi mudar de vida, era 5 vezes o meu salário do mês.

Demoraria 5 meses para eu pagar aquela dívida, pra mim não era um valor baixo.

A dica é organize todas as empresas pras quais você deve, coloque o nome, o valor atual e o valor que realmente você devia, pegue seu telefone e ligue para uma de cada vez.

Negocie sua dívida! Pense comigo, as empresas querem receber. Se você negociar e oferecer um valor que seja justo, elas vão aceitar. E você ficará livre das dívidas.

Existem inúmeros jeitos de negociação, você encontrará o que será melhor pra você nesse momento: parcelar, pagar à vista… O importante é honrar a negociação e finalizar essa dívida.

OBS: Se você dever a alguma pessoa, amigo, parente, negocie também, se for pessoalmente é melhor ainda, uma conversa olhando nos olhos passa mais confiança.

4 – Tenha uma reserva de emergência

A gente se apega ao nosso emprego, a nossa vida atual, ao que já conquistamos. E esquecemos de pensar no futuro e em como a vida é imprevisível.

Não ter uma reserva de emergência, me fez fazer empréstimos desempregada, me fez ter dívidas, pois eu não tinha renda para me bancar.

A reserva de emergência garante um conforto caso aconteça algo inesperado, o desemprego, uma doença, coisas que não podemos controlar.

Especialistas em finanças aconselham que a reserva deve ser o equivalente a 6 meses do seu custo mensal, se você vive com 1.000 reais no mês, a sua reserva deve ser de 6.000 reais.

minimalismo na vida financeira

5 – Faça o seu dinheiro trabalhar pra você

Se tem uma coisa que aprendi com o minimalismo é que tudo deve ter um significado pra você!

Só você sabe o que é importante pra sua vida, o que você já passou, suas dificuldades e dores.

Diferente de só guardar o dinheiro, aprender a investir me fez ter uma relação feliz com ele. Até então era: trabalhar, pagar contas, sair as vezes, reclamar que não tinha dinheiro e esperar pelo amanhã.

Quando descobri que não era necessário já ser rica pra investir, pensei essa é minha hora!

O começo bate a insegurança, mas vai por mim é assim mesmo! Todo começo é novidade, você não sabe como irá acontecer ao certo, fica ansiosa, mas depois é uma felicidade só, ver o seu dinheiro render.

Onde investir

Para investir no Tesouro Direto você precisa ter CPF, uma conta na corretora e uma conta em um banco. O processo é simples, você transfere o dinheiro da sua conta para a conta da corretora para investir. Aqui escrito talvez seja um processo confuso, mas vai por mim é mais simples do que parece.

Dá pra investir a partir de 30 reais por mês e na taxa Selic (taxa mãe, onde você consegue resgatar seu dinheiro a qualquer momento, tipo uma poupança sabe?!) você investe a partir de 92 reais.

É uma das maiores alegrias ver o meu suado dinheiro rendendo, vou deixar um link aqui do tesouro direto.

Escute sobre as infinitas formas que você pode investir e comece imediatamente. Você não vai se arrepender, fazer o nosso dinheiro trabalhar para alcançar nossas metas não tem preço.

Dia Internacional da Mulher

minimalismo na vida financeira

O dia internacional da mulher está chegando, todos os dias centenas de mulheres sofrem violência doméstica, são agredidas fisicamente, mentalmente e moralmente.

Uma das grandes queixas para não sair do relacionamento abusivo é a questão financeira, grande parte das mulheres ainda são dependentes dos homens (maridos e companheiros), por terem filhos menores, não terem para onde ir, essas mulheres se submetem a continuar numa relação terrível para a sua sobrevivência e de sua família.

Com as minhas dicas e exemplos que vivi na vida, podemos mudar a nossa história, podemos ser livres e conquistar nossos objetivos.

Espero poder dar esperanças a essas mulheres e dizer que você não está sozinha.

Mulher: você não precisa viver de migalhas!

Facebook Comments

Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *